sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Vozes Amigas nos Muros do Mundo



Imagem relacionada



Vozes amigas nos muros

Do mundo

Destroem as muralhas das

Indiferenças

Petrificadas em paredes

Humanas


Edificam-se gestos nas palavas

                    Ternos mudos passos

São voz tempo sonho

(Nossa voz é só uma)


Corpos anônimos

Carregam matérias vazias

De sentimentos...


        São nadas

São flores plantadas no asfalto


A minha voz encontra

A tua, amiga,

Formando pontes

De amizade

Entre mares e

Céus azuis estrelados

Vestidos de poesia

Em unidade humana


Somos nota do mesmo compasso

                              Verso da mesma letra

Almas unidas entre os espaços


Nas cores em partículas

Sonhadas de um mundo

Sem muros;

Sem olhos tristes de

Solidão cortante...


Todo o sonho tem a cor das pedras caídas

Da luz que entra em vitrais

                                  (Nossa letra é só uma)

Muros?

Em molduras

Arte em movimento

Vozes do mundo

Germinando

Sentimentos

Novos horizontes desenhando

Vidas que se interligam

No universo em movimento


Nascem estrelas no vazio

                     Cometas cruzam os mares

Muralhas quebram-se em pó

O que nos liga é a Palavra

                A voz é só uma, nosso traço


E o que ilumina

A nossa vida

nossos passos.





                                                              Dueto :  Suzete Brainer e Maria João Mendes.  


Poema reeditado (2012)

Imagem: Obra de Christian Schloe.


A minha voz amiga de saudade de ti, Maria!
Grata por esta parceria poética...
Que tu estejas bem com as tuas asas (poéticas) luminosas
em pleno voo de instantes significativos...
Beijinhos, Amiga.



                              

             
              

  
Partilha: Esta foi a minha primeira e única parceria poética. Uma parceria poética com a excelente, inspirada e sensível Poetisa Portuguesa Maria João Mendes. Neste espaço da blogosfera, existe a generosidade da partilha nos espaços de arte: poética, literária e fotográfica. Infelizmente, alguns blogs se encerram. Porém, a arte tem a força expressiva de se eternizar, por isso, partilho novamente este poema dueto.

Beijo e Abraço de Paz!

Suzete Brainer.


                              
              
                    
               

20 comentários:

  1. Boa tarde. Passando para me deliciar com as suas publicações. É maravilhoso o seu blogue. Gostei muito da sua poesia. Doce e maravilhosa..
    .
    Tema de hoje

    Manhã, nascer do sol, solfeja a cigarra no arvoredo
    .
    Deixo cumprimentos poéticos.

    ResponderExcluir
  2. Palavra a palavra, as duas poetisas entreteceram um diálogo intenso, fecundo, de maneira elíptica, feito de alusões que nos tocam profundamente. Conhecemos essas dores universalizadas pelas duas vozes. Excelente.
    Beijos, querida amiga,

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da parceria! perfeita! Parabéns! beijos, lindo fds!chica

    ResponderExcluir
  4. Que bonitos! Parabéns

    Beijos
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Essa partilha ficou linda, Suzete, uma troca de afetos, de sensibilidade, de arte, de sonhos... Quando se tem um coração que pulsa pelo bem, essa troca é fantástica, sem barreiras, sem fronteiras! Essa é a blogosfera que amamos.
    Poema que sensibiliza pela pureza dos sentimentos, das vontades.
    Beijo, um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia. Beleza de poema e de blogue. Adorei

    Hoje, um mini conto:- lembranças do meu coração...

    Bjos
    Um Sábado feliz

    ResponderExcluir
  7. Um dueto pleno de solidariedade, de cor e beleza. E a mensagem de ponte de afetos atravessa o poema.

    Saúdo e abraço as duas poetisas norteadas pelo mesmo desiderato.

    ResponderExcluir
  8. Olá Suzete!
    Gostei muito da realização poética do " Dueto : Suzete Brainer e Maria João Mendes", com " Vozes Amigas nos Muros do Mundo", um poema profundo de de grande beleza. Belíssimo poema. Parabéns a ambas.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  9. “Os bons espíritos encontram-se sempre”…

    E, por vezes, duas estrelas brilhantes encontram-se por capricho ou desenfado dos deuses.

    E então o milagre da poesia acontece!

    Beijo, minha amiga Susete


    ResponderExcluir
  10. O resultado é maravilhoso, Suzete, uma espécie de piano tocado a quatro mãos, em que as sonoridades (palavras) se soltam.
    Parabéns às duas!

    Um beijinho :)

    ResponderExcluir
  11. Duas vozes. Uma voz que se insinua dentro de outra voz, desdobrando um dizer único.
    O poema é muito belo. Parabéns às duas.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Susete
    Desculpe a intromissão no seu espaço, o que há bastante tempo tencionava fazer... :) Calhou hoje...
    Gostei muito de seu blog, e voltarei sempre que possível.

    Esta parceria ficou excelente.
    Muros do mundo - muros que a verdadeira amizade pode derrubar, abrir fronteiras e construir pontes.
    Muito bom!

    Fiz-me sua seguidora para não lhe perder o rumo...

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  13. OI SUZETE!
    NÃO HÁ MUROS ALTOS O SUFICIENTE PARA CALAR UMA VERDADEIRA AMIZADE.
    ACHEI LINDO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Querida Mariazita,

    Muito grata pela visita radiante de gentileza!!
    Seja muito bem vinda e volte sempre, viu!...
    Em breve irei visitar o seu blog e ficar seguidora também,
    para assim, o voo da partilha, que eu aprecio muito.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  15. Belo equilíbrio na assimetria
    O Inverno purifica a vida

    ResponderExcluir
  16. Bom dia. Um poema que nos envia para o silêncio da reflexão. Gostei demais.
    .
    Hoje escrevi:
    .
    *** NATAL - OS DEGRAUS DA NUA ESSÊNCIA ***
    .
    Deixando um abraço amigo
    .

    ResponderExcluir
  17. Não há muros que impeçam a amizade verdadeira.
    Um dueto magnífico, parabéns a ambas.
    Continuação de boa semana, amiga Suzete.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Que magnífico dueto de sentires, uma partilha generosa que só pode vir do coração.
    Há sempre muros ao nosso redor, cabe a cada um de nós deitá-los abaixo, mas é bem mais fácil quando do outro lado está alguém a lutar pelo mesmo.
    Quando encontramos alguém que nos acompanha, mesmo estando longe, e que dá voz ao nosso coração, tudo é possível e até voltamos a acreditar no ser humano.
    *
    Querida Suzete, só agora a visitei porque ultimamente o tempo tem fugido de mim e estou ainda a adaptar-me a uma nova fase. Guardo-lhe muito carinho e sempre que for possível, ainda que apenas esporadicamente, virei até aqui com todo o gosto ler e apreciar as suas palavras sempre repletas de verdadeiros sentires.
    Um enorme beijinho

    ResponderExcluir
  19. Gostei Suzete!
    Desejo um Feliz Natal e um Ano Novo cheio dos mais perfeitos pensamentos, de uma luz imensa que lhe ilumine os caminhos, e principalmente, com todos aqueles sonhos que só Deus pode permitir que tenhamos.
    Beijos e uma boa semana!

    ResponderExcluir
  20. Um poema muito belo... e em jeito de homenagem esta reedição!...
    Lamento a partida de sua amiga, Suzete!...
    Não haverá muros para as boas lembranças que sempre nos ficam, de quem parte...
    Beijinho
    Ana

    ResponderExcluir

Este é um espaço importante para você deixar inscrito:

A sua presença,

O seu sentir,

A sua leitura,

A sua palavra.

Grata por compartilhar este momento de leitura aqui!

Abraço de Paz!

Suzete Brainer.